quinta-feira, 9 de outubro de 2008

absorvo

Corre corre.
Não pára nem pra respirar.
A menina chama pra sair e vem de novo com a desculpa
A moça escreve no blog que ta sem tempo.
As conversas ficam truncadas, mesmo no msg (que é rápido)
O almoço desanda
A disgrama toda acontece.

Depois perguntam; por quê ninguém me entende?
Por quê travo no quem sou eu?
Por quê dá um vazio?

Pronto!

Avant garde é uma merda.
De tanta vanguarda vendo a minha alma por um cachorro quente.
Quando velho, terei tempo e o gastarei todo para varrer a rua as cinco da manhã.
Avant garde.

Vamos usar o agora?
Absorvo.

Um comentário:

  1. Rodrigo das Colinas Verdejantes10 de outubro de 2008 08:01

    Um pequeno diálogo com o poeta e a inspiração...

    INSPIRAÇÃO: Vai lá poeta, escreve aí: quando acordo numdia frio, a art nouveau me cobre de percepção...
    POETA: Espera porra, que merda é essa?
    INSPIRAÇÃO: Poesia oras!
    POETA: Mas por que cargas d'água tu me pede pra escrever coisas assim?
    INSPIRAÇÃO: Porque é divertido, eu gosto e, afinal de contas,não te devo satisfação.
    POETA: Mas nem todos irão entender, pra falar a verdade nem eu entendi.
    INSPIRAÇÃO: Você não é poeta?
    POETA: Sou?
    INSPIRAÇÃO: Você já leu poesias e conversou com outros poetas?
    POETA: Já!
    INSPIRAÇÃO: Fez sentindo pra você no primeiro momento que você leu o poema ou escutou da boca de um poeta?
    POETA: Já que tocou no assunto, não!
    INSPIRAÇÃO: Por isso que tu é poeta. As vezes as coisas sem sentindo é o que faz mais sentido na vida. O sentimento da alma é uma coisa complexa pra vocês todos. Se nem o sentido da vida vocês não decifram, que dirá a razão do sentimento. Somente vocês poetas que conseguem enxergar uma pequena faixa de nossa Luz. Mas muito precisa ser aprimorado.
    POETA: Puxa, não pensei por esse angulo.
    INSPIRAÇÃO: Além do mais, se formos inspirar o óbvio do sentimento, explicado, datado, testado, provado, somado por dois mais dois que dá quatro tudo o que queremos passar, eu não iria inspirar você, e sim um contador, cientista ou um daqueles malucos de repartições públicas. se quiser eu mudo meu método...
    POETA: NÃO! Pode deixar, já entendi o recado.
    INSPIRAÇÃO: Ah sim, que bom. Aonde paramos?
    POETA: Paramo aqui: quando acordo numdia frio, a art nouveau me cobre de percepção...
    INSPIRAÇÃO: Pois bem, continuando, a percepção que brota...


    Uma pequena homenagem a ti, meu irmão, por me presentear com poesias. Espero que esse meu "teclascrito" (gostaria de dizer manuscrito mas, estou usando um teclado) esteja à sua altura.

    Beijos, te amo irmãozinho

    ResponderExcluir

Não me procure se não for importante