quarta-feira, 2 de setembro de 2009

E tome paulada

Entrei.
Dei um passo e fechei a porta com orgulho!
Ufa estou em casa. Estou no templo!
E estando aqui não tenho tempo pra dizer o que fechei lá fora.
Tenho tanta coisa pra descansar que não acho justo explicar a poeira do caminho.

Tenho sede.
Se entrei no templo,
acho justo abrir uma cerveja, sentar na poltrona e olhar para o quadro psico.
Não sei porque encontrei beleza nessas de refletir, mas relfito..
E não perco muito tempo no espelho de cansado de olhar pra mim.
O mundo sorri quando morre um egoísta.. vira adubo para as primaveras do jardim.

Entrei.
Estou de volta,
E para todos os meus demônios, digo um alô com as sombrancelhas
e desdenho sua existência como quem ouve uma piada sem graça.

Tenho um sorriso de canto
e não canto para mares 'nunca dantes navegados'
grito pro meio
e novamente reflito que segregados
tem muito mais pra bem nascidos que pra degredados.
Nois se mistura e muda de opinião
Nossa pela escura entende a pele dos outros gatos
que de tanta raça pura
se transformaram nos melhores tamborins..
Os melhores tamborins do pedaço.

E tome paulada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não me procure se não for importante